20
Fev 09
publicado por aipotu, às 12:40link do post | comentar | ver comentários (1)

O ministro dos Assuntos Parlamentares, Augusto Santos Silva, mostrou-se deveras indignado com o “Spot” utilizado pela RTP 1 que visava promover a entrevista que cedeu na quinta-feira a Judite de Sousa naquele canal.

 
Basicamente a televisão pública nacional utilizou a célebre expressão de Santos Silva “gosto de malhar na direita” e colocou tal áudio por baixo de um discurso do dirigente socialista na Assembleia da Republica. O ministro diz que disse aquilo num debate interno do PS e que, portanto, os telespectadores (eleitorado para Santos Silva) foram induzidos em erro.
 
Santos Silva exige um pedido de desculpas formal da RTP e chegou a dizer que a televisão violou o Código de Ética do jornalismo. Não vou comentar. Venho apenas congratular-me pois acabo de confirmar que a minha teoria estava correcta.
Escrevi aqui que, em altura de legislativas, Sócrates podia ter interesses em que o “Caso Freeport” fosse divulgado, pois enquanto os portugueses andarem distraídos com isso, ninguém se lembra dos 150 mil postos de trabalho prometidos pelo Primeiro-Ministro, promessa não cumprida, ou outros assuntos como o aumento do défice e diminuição do nível de vida nacional (Ver mais abaixo o texto “O Caso freeport as legislativas e o País”).
Ora Santos Silva acaba de fazer o mesmo: Lamenta-se na televisão, em horário nobre, e lá vai distraindo os portugueses com o folclore do PS. Os assuntos importantes que interessam aos socialistas omitir ficam assim mesmo, omitidos.  

BdR.


10
Fev 09
publicado por aipotu, às 10:41link do post | comentar | ver comentários (2)

Gostava de dar os parabéns à RTP, nomeadamente ao sítio na Internet da RTP1 que, uma semana depois de aqui ter sido publicado o texto “O caso Freeport, as legislativas e o País”, decidiu avançar no seu Blog com um texto semelhante, congratulando-se por ser pioneira na temática.

 

É só para que conste que não foram, as datas não enganam e, pelo menos aqui, saiu um texto sobre o assunto uma semana antes. Mas enfim era só um aparte até porque este “post” é sobre o Chelsea e o despedimento de Scolari.

 
Gosto de Roman Abramovich, o presidente e dono do Chelsea. No último ano decidiu despedir um treinador que, em três anos, ganhara três vezes o título. Como se não bastasse despedir José Mourinho, ainda lhe pagou 25 milhões de euros para que ele fosse ser campeão para outra freguesia.
 
Depois disso despediu o senhor Avram Grant, que lutou pelo título até à última jornada e foi finalista vencido da Liga dos Campeões, isto tudo numa recuperação alucinante da equipa em cerca de 4 meses.
 
Não contente, por motivos de uma elevada capacidade de gestão de Abramovich e, pelos visto, de todo o seu staff administrativo, foi contratado Luís Felipe Scolari para treinador principal da equipa.
Era o que já se esperava… Às tantas a proeza foi ter conseguido durar até Fevereiro. Agora são 17 milhões de indemnização para ao brasileiro, que tinha contrato por mais três anos.
Fica só uma sugestão o dono do Chelsea: Se não tem a certeza se a coisa vai correr bem, porque é que não dá aos novos treinadores que contrata, vínculos de apenas um ano? Assim, se os despedir paga quase nada, se correr bem renova-lhes o contrato no final da época.
É que já começa a ser ridículo ver tanta gente a enriquecer sem trabalhar. Se é uma questão de solidariedade então faça como o Robin Hood e distribua por todos. Caso contrário pare lá com isso se fizer favor.
BdR.
 

arquivos
pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO